Notícias

  • Abr

    02

    2018

Ideias para enfrentar a crise e ter melhores resultados no seu negócio

Por Rafael de Souza, analista de Negócios no Sebrae-SP na regional de São José dos Campos, graduado na área de TI, especialista em gestão estratégica de negócios e em gestão de pessoas.

 

Você fica se perguntando porque alguns empreendedores conseguem ter sucesso mesmo com esta “crise”? Como eles conseguem tamanha façanha? Por que não consigo ter melhores resultados no meu negócio? Será que simplesmente reduzir quadro de funcionários, cortar investimentos e fazer o “arroz com feijão” do seu negócio é a melhor solução para enfrentar a situação atual do mercado ou existe algo melhor?

Bom, é possível enumerar várias respostas certas para as perguntas acima, porém existe uma em destaque: inovação. A velocidade com que o mercado (cliente, concorrência e fornecedores) vem mudando diariamente está cada vez maior, por isto aqueles que se adaptam rapidamente têm maiores chances de sucesso. É neste ponto que entra a inovação!

Mas o que significa inovar? É criar algo novo ou significativamente melhorado, seja em produto/serviço, processo, organizacional, marketing ou modelo de negócio, podendo ser uma novidade para o mundo, para o mercado ou até mesmo para sua empresa, ou seja, neste último caso, mesmo que seja algo já existente no mercado, se for algo novo para o seu negócio pode sim ser considerado uma inovação, então não é apenas investir em tecnologia, porém destaco que investir em marketing digital já se tornou imperativo para qualquer negócio.

Um exemplo simples e prático de inovação que posso citar é de uma barraca que vende milho verde cozido que, após perceber o problema dos clientes com o alimento que fica preso nos vãos nos dentes, passa a oferecer também 20cm de fio dental para o cliente utilizar após comer seu produto, tendo o este pequeno custo adicional embutido no preço. Em resumo, com esta inovação simples é possível resolver o problema do cliente, agregar valor ao seu serviço e ganhar dinheiro com esta ação.

Conheça agora o ciclo da inovação e veja como ele funciona:

1. Tenha ideias por meio de um brainstorming (“toró de parpites”) com sua equipe, mentor/consultor, clientes especiais e/ou amigos empreendedores, sem preconceitos, deixe o medo de errar de lado para não inibir boas ideias. Depois selecione aquelas mais viáveis de serem construídas, levando em consideração investimento e tempo necessário para construção e implementação, resolução de problemas, redução de custos, aumento de faturamento e geração de valor para o cliente.

2. Construa a ideia, coloque a mão na massa, não se esqueça que feito é melhor que perfeito, então faça um protótipo minimamente viável (com as mínimas características necessárias para ele ser inserido no mercado) com o menor tempo e esforço possíveis para testar hipóteses para a validação da ideia.

3. Implemente a ideia com um seleto grupo de clientes no intuito de captar sua percepção de valor, utilidade, funcionalidade, comparação com soluções similares da concorrência, falhas e oportunidades de melhorias, sendo assim, crie as métricas certas para a verificação de todos estes pontos que irá captar. Pesquise na Internet sobre as ferramentas Buyer Personas, para construção do Avatar de cada grupo de clientes da sua empresa, além do Mapa da Empatia que serve para desenhar o perfil do seu cliente ideal com base nos sentimentos dele e compreender o que ele deseja, permitindo visualizar situações sob perspectivas diferentes e entender as razões pelas quais ele age de determinada forma.

4. Analise as percepções e as métricas coletadas e verifique a viabilidade de implementar a versão completa da sua ideia, sendo imprescindível que no mínimo reduza custos ou aumente o faturamento do seu negócio, pois se não gerar algum resultado financeiro ou econômico para sua empresa você criou apenas uma invenção e não uma inovação.

5. Aprenda, independentemente da sua ideia ter dado parcial ou completamente certa e, porque não errada, é importante saber que tudo faz parte de um processo de aprendizado contínuo que pode ser utilizado para melhorar a sua ideia inicial ou até mesmo desistir dela devido sua inviabilidade.

6. Caso valide sua ideia e verifique que ela é viável financeiramente, aprimore todos os pontos identificados na etapa número 3 e construção a versão a ser lançada no mercado. Por fim e não menos importante, prepare o lançamento desta ideia de forma a garantir, de forma clara e objetiva, a promoção e o destaque do valor agregado daquilo que inicialmente era apenas uma ideia, mostrando seus diferenciais perante a concorrência e sua importância no mercado.

Não queira resolver todos os problemas e/ou colocar todas as ideias em prática de uma só vez, escolha uma que seja mais viável para o seu negócio neste momento, faça isto de forma planejada e lembre-se que, mesmo após implementar uma ideia, a inovação é um ciclo vivo que precisa renovar-se constantemente, sendo importante ser o pioneiro dentro do seu mercado de atuação. Desta forma você terá grandes chances de se tornar líder do setor, tendo como seguidores não somente seus clientes, mas até mesmo a própria concorrência.